Qualquer site de investimentos ou livro com dicas de investimentos vai recomendar o Tesouro Direto. É praticamente uma regra essa recomendação, e nós mesmos já demos essa recomendação mais de uma vez. Mas será que não há riscos nesse tipo de investimento? Será que é impossível mesmo perder dinheiro no Tesouro Direto?

Tesouro Direto e risco de calote

Títulos do Tesouro Direto são dívidas do Governo compradas por investidores. O Governo, em contrapartida, paga a esses títulos o seu valor total acrescido de u rendimento depois de um prazo estabelecido previamente. Se o Governo resolve não pagar esses títulos, o chamado calote, os investidores não terão seu dinheiro de volta. No Brasil, tal risco é quase nulo.

A situação econômica do país é muito estável, e nenhum partido ou Governo imagina colocar o país em risco econômico ao dar calote aos títulos do Tesouro Direto. Portanto, não precisa se preocupar com esse risco no nosso país, pelo menos.

Riscos do Tesouro Direto

Se você quer investir no Tesouro Direto, compreenda os riscos envolvidos antes de sair colocando seu dinheiro de qualquer jeito nesse tipo de investimento. (Foto: viverdeinvestimento.com)

Interrupção dos negócios do Tesouro Direto

Há um risco da negociação dos títulos do Tesouro Direto serem interrompidos. A negociação pode ser interrompida quando as cotações de mercado estão muito distantes da precificação do Governo. É uma segurança para os investidores e para o Governo em si. Só que esse procedimento atrapalha na liquidez do seu título. Isso significa que se você quiser negociar o seu título antes do vencimento, pode não ser possível fazê-lo. É um risco relativamente baixo da interrupção perdurar por muito tempo, mas não deixa de ser um risco.

Investir no Tesouro Direto vale a pena? O risco de perder dinheiro

Ao investir no Tesouro Direto, o investidor corre risco de perder dinheiro. Como? Primeiro, falamos sobre o risco de alguém não comprar seu título quando você optar pela venda do mesmo.É um risco real, apesar de não ser um risco muito alto. E com certeza, vai resultar em perdas financeiras para você. Portanto, analise isso antes de sair comprando títulos do tesouro.

Depois, temos o risco de perda financeira em relação a outros investimentos. Títulos do Tesouro Direto são indexados ao IPCA ou um taxa fixa. No primeiro caso, com uma inflação alta, significa mais lucro para  investidor. No segundo caso, se essa renda fixa for menor do que os juros do período em que o dinheiro ficou investido, você estará perdendo poder de compra. Mesmo no primeiro caso se, por exemplo, a Bolsa de Valores estiver aquecida, você corre o risco de perder oportunidades e recursos valiosos por ter alocado dinheiro em um investimento que está rendendo menos.

É comum muitos investidores se assustarem nos sites de corretoras e verem em suas contas de investimento do Tesouro Direto uma rentabilidade negativa, ou seja, menos dinheiro do que eles investiram. Isso significa apenas que o título não está no vencimento dele, e você estará perdendo dinheiro se vendê-lo antes do prazo final.

Tesouro direto SELIC ou IPCA? Risco de liquidez

Esse risco remonta ao que falamos: o risco de não conseguir um comprador para seu título. Mas também retoma outra questão: a necessidade de dinheiro em situações de emergência.

Se você só tiver investimentos em Tesouro Direto, sua liquidez pode ser baixa, ou seja, pode ser difícil conseguir vender seu título do tesouro para transformá-lo em dinheiro. Some a isso o fato de que o título vendido antes do vencimento não pagará o valor total, de face, e você terá não apenas o risco de não conseguir liquidar seu título, como também de perder dinheiro.

Há casos, inclusive, de títulos do Tesouro Direto atrelados à Selic ou de valor fixo em que o título pode render menos que a inflação ou até menos do que a poupança. E uma rentabilidade menor do que a poupança com certeza não é algo que você vá querer.

Como reduzir os riscos de investir no Tesouro Direto?

Para se proteger do risco de ter que liquidar o título antes do prazo e acabar perdendo dinheiro, você precisa de um título com uma volatilidade baixa, ou seja, que não varie muito no valor real ao longo do tempo. Os títulos atrelados a SELIC (LFT) são os mais recomendados nesse aspecto, porque possuem liquidez diária.

Para proteger seu investimento da inflação e investindo no longo prazo, como por exemplo, para a aposentadoria, títulos prefixados do Tesouro Direto IPCA+ vão proteger seu investimento do risco da inflação, ou seja, da perda do poder de compra, garantindo que você tenha um rendimento acima da inflação durante o período que você deixar o dinheiro investido.

Para se proteger do risco de liquidez, é uma boa opção ter dinheiro investido também em uma poupança ou um fundo de emergência. Assim, você evita liquidar seu título quando estiver perdendo dinheiro.

Por último, mas não menos importante: tenha um objetivo claro para o investimento no Tesouro Direto. Saber o destino dos seus investimentos é essencial para criar uma estratégia efetiva de diversificação de investimentos, e que vai te deixar tranquilo para fazer o que bem entender com seu dinheiro e na hora certa para usar aqueles recursos. E evite liquidar o título antes do vencimento, mesmo que seja uma das suas únicas fontes de renda. Seja criativo para não perder dinheiro.

Você já tem investimentos em Tesouro Direto? O que acha desses investimentos? Já teve que liquidar um título do Tesouro alguma vez? Como foi a rentabilidade?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)