Em qualquer noticiário de finanças no mundo você verá muitas porcentagens e raramente as pessoas tratando de economia com valores exatos. Fórmulas de finanças pessoais disponíveis em livros e até em sites da internet seguem o mesmo padrão, raramente fugindo das porcentagens. Por que será que as pessoas escolhem as porcentagens ao invés de números inteiros para os cálculos de finanças pessoais?

O primeiro motivo disso é a atemporalidade dos dados calculados em porcentagens. Independente de outros fatores, 8% será 8% em qualquer situação. Isso mantém uma constância de dados, pois todos os anos temos salários que mudam devido a aumentos e influência da inflação. Se alguém te diz que você tem que poupar 8% de seu salário mensalmente, com aumento ou sem aumento, a quantia continuará na mesma proporção. Isso vai diretamente ao contrário da idéia dos números inteiros: se eu te disser para poupar R$200,00 hoje, daqui a alguns meses esses R$200,00 não terão o mesmo valor, considerando o poder de compra destes R$200,00, que provavelmente irá cair.

E falando em R$200,00, entramos em outra parte importante dos cálculos através de porcentagens: os números.

Sim, os números. Na sua cabeça, o que é mais difícil: poupar R$200,00 ou 8% de seu salário? O número 8, por ser um número menor, resulta em um menor impacto na hora de pensar em quanto poupar. Já quando você pensa em R$200,00, um valor muito mais alto, poupar ou separar esse valor fica muito mais difícil. Mesmo se R$200,00 forem iguais a 8% do seu salário.

Porcentagem

A porcentagem, ao contrário dos números inteiros, te dá um valor atemporal, ou seja, que continuará funcionando mesmo que suas finanças mudem. (Foto: oncalc.com)

Ao lidar com porcentagens, também encontramos uma maior facilidade para classificar nossos gastos e saber como poupar. Quem já viu nosso artigo sobre o décimo terceiro salário sabe disso. Visualizando nossas finanças em porcentagens, você consegue até fazer gráficos para saber onde estão seus maiores custos e onde você pode cortar gastos. Imagine descobrir que uma conta de luz de R$150,00 corresponde a mais de 10% do seu salário? Quando você percebe essas relações, imediatamente busca formar de cortar custos. Assim como visualizar que poupando 8% de seu salários todos os meses você conseguirá pagar todos os impostos do começo do próximo ano e ainda ter seu décimo terceiro inteiro para fazer o que bem desejar.

A porcentagem também facilita o planejamento financeiro de longo prazo. Pense o que você deseja fazer em 5 anos. Digamos que queira comprar um carro novo e o valor desse carro seja de R$30.000,00 e seu salário mensal seja de R$2.000,00. Pensando em números inteiros, provavelmente você irá pensar que precisa de mais de 15 meses de trabalho para o carro novo, um pensamento até desanimador. Mas vamos pensar com porcentagens.

O plano para o carro novo é de 5 anos. Em 5 anos, sem contar aumentos ou a influência da inflação, você terá ganho um total de R$130.000,00, levando em conta seu décimo terceiro também. R$30.000,00 correspondem a aproximadamente 23% de R$130.000,00. Isso quer dizer que, se você poupar mensalmente 23% de seu salário, em 5 anos você terá o valor que precisa para seu veículo.

“Poxa, mas isso é muito tempo”. Você pode diminuir o prazo, você pode lembrar que esse dinheiro terá um rendimento de juros compostos mensal e que diminui o prazo final. A porcentagem te dá a possibilidade de uma análise duradoura e que não precisa mudar de mês para mês ou ano para ano. Portanto, fica a dica financeira para nossos leitores.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)