Há benefícios para gerir ativamente o seu dinheiro: você vai saber onde seu dinheiro está indo e se você está gastando mais do que você pode pagar. Isso vai lhe dar paz de espírito e um senso de controle. Pode ajudá-lo a evitar problemas de dívida, se preparar para emergências, economizar dinheiro e alcançar seus objetivos futuros.

Pode ser difícil saber por onde começar, mas quebrando a administração do dinheiro em semanas, meses e anos, fica muito mais fácil manter um controle melhor de seu dinheiro. Com nosso guia, isso vai ficar bem mais fácil

Faça uma verificação de saúde financeira

Um exame de saúde financeira lhe dará uma visão clara de suas finanças e ajuda a identificar onde você precisa fazer alterações. Você deve concluir esta etapa, pelo menos uma vez por ano, especialmente se as alterações de renda ou você tiver um grande evento de vida. Para começar, você vai precisar de uma planilha financeira, que é bem fácil de conseguir, ou até um papel em branco mesmo.

Calcule sua renda total

Para obter uma imagem clara de suas finanças, você precisa conhecer todas as suas fontes de renda. O seu holerite vai mostrar o que você ganha com o seu trabalho. Se você estiver recebendo benefícios sociais como o subsídio de desemprego ou pensão alimentar, certifique-se de incluir listar estes.  Se você tem ganhos extras que você classificaria como renda, tais como juros sobre a poupança ou renda de investimento, inclua-os também. Renda total pode ser calculada de algumas formas diferentes: anualmente, mensalmente e semanalmente. Basta apenas dividir sua renda mensal pelo número de semanas do mês (semanal), renda anual pelo número de meses do ano (mensal) ou multiplicar a renda mensal por 13 (incluindo o décimo terceiro = anual).

Calcule suas despesas

Manter o controle de seus gastos pode ser difícil. Pode ajudar ao classificá-los como se segue:

Despesas diárias incluem cafés, almoços, táxis, cinemas, bares, créditos de telefone e a  lista continua! Faça um diário de gastos semanais para ajudá-lo a identificar o que você gasta o seu dinheiro. Não preciso dizer que estas anotações tem de ser feitas em um padrão diário. Guarde os recibos para cada item que você compra e insira o custo do item em seu diário semanal. Alternativamente, você pode usar uma calculadora gastos para ajudar a identificar as suas despesas do dia-a-dia e ver o que custar-lhe mais de um mês ou um ano, assim como aplicativos para aparelhos móveis. Estes gastos são normalmente semanais.

Despesas correntes incluem aluguel, gás, eletricidade, TV, telefone e banda larga. Seus extratos bancários e contas regulares lhe darão uma boa ideia do quanto você está gastando. Você também pode pesquisar para ajudá-lo a comparar seus gastos em alimentos, energia, TV e telecomunicações, telefones celulares e carros com os outros. Estes gastos são normalmente mensais.

Empréstimos e dívidas, bem como listar seus pagamentos mensais/semanais, sendo importante anotar o quanto você ainda deve em sua hipoteca ou empréstimos e o tempo que vai demorar para reembolsá-los na íntegra. Estes são dívidas mensais.

Poupança e investimentos. Você pode ter poupança regular em conta de depósito ou de cooperativa de crédito. Liste todas as economias/depósitos que você faz regularmente. Para obter um quadro completo de suas finanças, registre a quantidade de dinheiro que você tem em todas as contas de poupança como parte de seu exame de saúde financeira. Existem tanto em padrões semanais quanto mensais.

Despesas ocasionais, como despesas médicas, seguros, feriados, aniversários ou licença de TV. Vale a pena incluir aqui impostos anuais, como IPVA e IPTU. A inclusão depende da frequência, se são anuais, mensais ou semanais os custos.

Se você tiver uma sobra dinheiro depois de analisar sua situação financeira mensal ou anual, pense sobre como você pode usá-lo de forma eficaz. Por exemplo, pense em pagar os seus empréstimos cedo (pagar altas taxas de juros em primeiro lugar) ou a abertura de uma conta de poupança para ajudar você a alcançar seus objetivos. Se você está gastando mais do que sua renda, pense sobre como você pode cortar em despesas, começando pelos gastos semanais, pois neles é mais fácil de visualizar os buracos financeiros.

Dinheiro organizado

Ao contabilizar o tempo de seu dinheiro e quebrar esse tempo em unidades menores, fica muito mais fácil visualizar onde seu dinheiro está fugindo e como poupar. (Foto: www.news.com.au)

Identifique seus objetivos

Se você está economizando para umas férias no próximo ano, pagando a sua dívida de cartão de crédito ou iniciando um fundo de emergência, todos nós temos objetivos diferentes. E quando você tem um objetivo, você vai achar que é mais fácil de manter um orçamento. Depois de identificar o seu objetivo, você precisa descobrir quanto vai custar e como você vai colocar dinheiro de lado para alcançá-lo. Para fazer isso, veja um exemplo de como você precisa planejar para alcançar seus objetivos com a nossa amostra de exemplos de curto, médio e longo prazo:

A curto prazo (0 a 3 anos):

  • Saldar a sua dívida;
  • Poupar para um carro ou férias;
  • Poupar para o Natal;
  • Poupar as despesas de volta às aulas;
  • Poupar  para um casamento;
  • Poupar para um bebê;
  • Poupar para um depósito para comprar uma casa;
  • Começar a construir um fundo de emergência para despesas inesperadas.

A médio prazo (3 a 10 anos):

  • Poupar para a reforma da casa;
  • Poupar para a educação de seus filhos;
  • Poupar para negociar uma casa maior;
  • Poupar a pagar um montante fixo da sua hipoteca.

A longo prazo (10 anos ou mais):

  • Pagar um plano de aposentadoria privado para poupar para a renda de aposentadoria;
  • Pagar sua hipoteca mais cedo;
  • Segurança financeira.

Faça um orçamento e cumpra-o

Comece por pensar a que este orçamento se aplica. Se você tem uma família, você pode desejar incluí-los no processo de planejamento orçamentário e conversar regularmente com eles sobre como você está fazendo. Dessa forma, todo mundo sabe onde eles estão, e você pode gerenciar as expectativas. Neste caso, considere todas as rendas domésticas, gastos e outros compromissos.

Se você compartilhar sua casa com um parceiro, é provável que você vai ter algumas despesas compartilhadas, como pagar contas, mas você ainda pode desejar um orçamento separado para si mesmo. Neste caso, você poderia considerar a abertura de uma conta conjunta para gerenciar suas despesas domésticas comuns e fazer um orçamento em separado mesmo.

Seja honesto sobre os números em seu orçamento: não superestime ou subestime sua renda ou gastos. Não inclua o dinheiro de sua poupança como renda: use sua renda regular apenas.

Se você não manter o seu orçamento, não desanime. Comece de novo. Pode levar algum tempo para se ajustar a um novo padrão de gastos. A coisa mais importante é ser realista.

Separe um orçamento para cada semana após cortar de sua renda mensal gastos como luz e internet. Basta dividir sua renda mensal, menos estes custos mensais, para cada semana. Tendo estes valores como norte, você conseguirá poupar mais mensalmente ao ter metas mais concretas e próximas de você, do que ter que lidar com dívidas apenas a cada 30 dias.

Pesquise, troque e poupe

Pesquisar produtos e serviços antes de comprar pode economizar dinheiro. Isso vale para custos de contas correntes, contas de poupança, cartões de crédito, empréstimos e seguros de carro, casa de vida, além de produtos para sua casa, como eletrodomésticos, móveis e muito mais.

Não sabe se você está gastando demais em contas da casa? Compare seus gastos em alimentos, energia, TV e telecomunicações, telefones celulares e automobilismo com os outros. Pesquisar e comparar pode ajudar você a economizar dinheiro e dar algumas dicas úteis sobre como cortar. Isso também pode dar-lhe o empurrão que você precisa para mudar de fornecedor, se isso significar poupar dinheiro.

Lembre-se, pequenas mudanças podem elevar-se a grandes poupanças. Use nossas dicas para ajudar você a economizar dinheiro, quebre suas finanças anuais em mensais e semanais e até diárias. Quanto “menores” forem os prazos, melhores serão suas economias.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)