O brasileiro tem um costume um tanto ruim, financeiramente falando, de querer parcelar quase todas as suas compras no seu cartão. Muitas vezes, eles são iludidos pela propaganda enganosa dos juros zero e parcelam em um monte de vezes, a perder de vista, sem nem se preocupar se serão capazes de pagar a dívida toda. Como esta é uma realidade nossa, queremos ajudá-lo a aprender a parcelar suas compras no cartão e otimizar suas possibilidades para o parcelamento.

O estabelecimento físico ou loja online, primeiramente, tem que disponibilizar o parcelamento. Em alguns casos, ele depende da compra de um valor mínimo de mercadorias. Basta só solicitar ao lojista que parcele a compra na máquina de cartão, opção que surge logo em uma das primeiras telas. Para decidir se você quer parcelar ou não uma compra, você tem de avaliar a necessidade daquele item em particular na sua vida.

Será que você não consegue economizar um ou mais meses para comprar o produto a vista, com desconto? Se isto não for possível, pense em um valor muito pequeno de parcelas e em uma quantidade de recursos que não tire muito do seu salário. Pessoalmente, sugiro um valor de no máximo 10% de seu salário reservado para parcelamentos. O parcelamento é uma facilidade que usamos sem amarras e isso nos prejudica. Devemos ter uma maior disciplina com esse uso e glorificar menos o consumismo nessas horas.

Utilizando o crédito

Evite parcelar as compras e sempre dê preferência por pagamentos a vista. (Foto: creditoeemprestimo.com)

Economize um pouco mais, seja mais paciente, planeje melhor os seus gastos e consiga poupar muito mais pois o “vício” em parcelamentos poderá te levar facilmente à falência, iludido pelos valores baixos das parcelas e a possibilidade de expandir o pagamento para prazos a perder de vista.

Estamos ainda aprendendo a lidar com o crédito no Brasil, uma vez que temos um acesso facilitado a ele a relativamente pouco tempo. O cartão de crédito, por exemplo, deveria ter taxas de juros mais baixas e o parcelamento dos produtos ser o parcelamento da fatura do cartão. Assim, evita-se que lojistas iludam o consumidor com a taxa de juros zero para parcelamentos, o que não existe. O povo brasileiro ainda precisa de muita  informação e saber que o cartão de crédito é como um empréstimo e deve ser usado com cautela, assim como o dinheiro emprestado de uma instituição financeira.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)