Como um escritor da área financeira, é minha responsabilidade ser capaz de ajudar as pessoas a encontrar maneiras de economizar dinheiro, seja em seus impostos ou despesas do dia a dia.

Como responsável por mais de 800 artigos publicados sobre o assunto, eu li muito para o meu próprio benefício também. E apesar de não ver a mim mesmo como sendo uma pessoa que sabe economizar bem, que é frugal, eu conheço bem sobre o assunto.

O que encontrei em minha pesquisa, por vezes, me deixa um tanto chocado, principalmente aos limites que algumas pessoas vão para economizar dinheiro, mesmo em incrementos muito pequenos. Eu não tenho nenhum problema em fazer comparação de preços, usar cupons de desconto, planejar minhas compras, e outras coisas mais, afim de reduzir as minhas despesas, mas algumas das pessoas lá fora absolutamente recusam qualquer coisa que não seja gratuita.

Há uma grande diferença entre saber economizar e ser pão duro

Isto não é sobre a escolha de água em vez de refrigerante/álcool em um restaurante. Não se trata de opções alternativas para pagar a academia. Não se trata de projetos do tipo “faça você mesmo”. Não é realmente sobre vantagens ou desvantagens de um estilo de vida frugal. Isto é simplesmente um artigo mostrando onde exatamente os limites entre economizar dinheiro e ser pão duro são ultrapassados, de forma a educar nossos leitores sobre como aproveitar melhor o dinheiro do jeito certo.

Poupando sem ser pão duro

Ser frugal é conseguir o máximo pelo dinheiro que você tem, não apenas poupar dinheiro em tudo que você pode e não pode. (Foto: secondhandtips.com)

Como economizar sem ser pão duro: alimentos/itens para casa

Vamos ser honestos, esses tipos de coisas não são realmente uma tremenda pressão sobre a carteira (e se elas forem, você pode querer pensar sobre como você gasta o seu dinheiro). Papel, copos, vasilhas etc, podem ser obtidos a preços relativamente baixos, especialmente se você não está interessado em produtos topo de linha. Mas, ainda é uma despesa que algumas pessoas preferem não ter que lidar com elas.

Uma pessoa frugal

Muitos de nós já usam os potes de sorvetes usados para muitas coisas. Eu acumulei uma bela coleção de contêineres em várias formas e tamanhos, que podem acomodar uma ampla gama de necessidades apenas fazendo algo que eu mesmo consumo normalmente, incluindo queijo, amendoim, milho e outros. Então, da próxima vez que você comprar um item que use um recipiente para armazenamento, não se esqueça lavá-los para que você possa usá-los para as necessidades futuras. Não se esqueça que muitos dos “disque comida” trazem os alimentos em recipientes que podem ser utilizados para outros fins.

Uma pessoa pão-dura

É uma coisa reutilizar sacos para armazenar produtos embalados, mas algo totalmente diferente quando se fala em colocar comida diretamente neles, então lavar os sacos para prepará-los para o próximo uso. É um risco para a saúde. Há uma razão pela qual especialistas em alimentos e saúde aconselham contra o uso de tábuas de corte de plástico para carnes cruas, peixes e aves. Tais tábuas nunca ficam 100% limpas, mesmo em uma máquina de lavar louça. Será que realmente vale o risco de saúde para salvar os poucos tostões? Depois, há pessoas que estocam seus armários com pacotes de açúcar, guardanapos, palitos, etc enchendo seus bolsos ou carteiras com esses itens de mesas de restaurante e bar-tops. Acreditem ou não, essas histórias são reais.

Como economizar sem ser pão duro: carros

Não há nada de errado em não dar a mínima para a imagem que os outros podem ter de você baseado em seu veículo. Eu posso dizer isso porque eu não coloco uma grande importância na minha imagem neste aspecto. A maioria dos itens opcionais não são ainda tão úteis, tais como um teto solar, spoilers, aros cromados, ou outros acentos estéticos. Em sua maioria são apenas para se mostrar aos outros, acrescentando muito pouco (se houver) valor de desempenho.

Uma pessoa frugal

Comprar usado é uma boa maneira de manter suas despesas iniciais ao mínimo em relação a quem está comprando novo, mas sem todas as opções carregadas de fábrica topo de linha. Dirigir seu carro durante um tempo até que os reparos não justificam os custos também é uma opção, embora para mim isso beira a ser um pão duro devido aos problemas apresentados por fazê-lo.

Uma pessoa pão dura

Agora, no extremo oposto do espectro estão aqueles que realmente negligenciam seus carros por uma questão de poupar dinheiro. Conduzem com os pára-brisas rachados, portas e porta-malas que são mantidos fechados por cordas, escape arrastando no chão, forro de teto que cede, etc. Isso vai muito além frugal. Há uma diferença significativa entre a não colocação de grande importância em um carro e sair como se você não cuidasse de seus bens. É importante entender a distinção entre este fato e o uso de um carro como um intensificador de imagem. Além disso, como carros velhos perdem desempenho, a falta de manutenção também leva a uma perda na economia de combustível. Vale lembrar que uma economia porca hoje em dia é comum em mais de 80% dos carros brasileiros: não colocar aditivo na água do radiador. Mais de 80% rodam apenas com água, resultando em problemas gravíssimos no sistema de arrefecimento do veículo e no motor. Economia porca e prejudicial ao pão duro.

Como economizar sem ser pão duro: contas de energia

Contas de energia são um dos maiores custo de vida de uma família tem que se preocupar. Dependendo da localização, os custos de energia podem levar a enormes oscilações, e manter as coisas gerenciáveis precisa de um pouco de esforço e dedicação.

Uma pessoa frugal

Estes dias muitos itens eletrônicos tem selos e classificações de eficiência energética, de modo que escolher esses itens ajuda um pouco. Usando algumas calculadoras de energia para centralizar o controle de energia e desligar dispositivos desnecessários durante a noite ou quando sair de casa faz muito sentido, e pode economizar dinheiro adicional. Você também pode usar termostatos digitais para regular automaticamente a temperatura interior se usar um aquecedor/ar condicionado, de modo a não gastar energia quando ninguém está em casa e economizando um pouco mais. Ou você pode optar por ventiladores ao invés de um ar condicionado.

Uma pessoa pão dura

Ter um “lar” é ter um espaço para viver dentro do qual você se sente confortável e que te reflete como uma pessoa. O fator de conforto é onde o preço baixo vem nessa equação. Eu não posso acreditar que algumas pessoas realmente fazem isso, mas já ouvi de pessoas que vão muito longe em um esforço para manter os custos de energia para baixo. Em vez de usar um aquecedor nos meses de inverno, existem algumas pessoas que se recusam a fazê-lo, usando camadas de roupas em casa no lugar disso, totalmente desconfortáveis. Eu mesmo ouvi de pessoas vestindo casacos e suéteres pesados ​​dentro de casa, afim de não usar nenhuma energia adicional. O mesmo aconteceu com pessoas que moravam em cidades litorâneas e se recusavam até a comprar um ventilador, mesmo tendo que lidar com temperaturas de mais de 30º quase todos os meses. Totalmente desnecessário e pode inclusive, influenciar sua produtividade por conta do estresse causado pelo clima

Como economizar sem ser pão duro: Atividades Sociais/Entretenimento

Possivelmente uma dos mais despesas orçamentárias, mas algo que é necessário (pelo menos de acordo com as pessoas normais, socialmente ajustadas). Esta é talvez uma das áreas mais fáceis de poupar um dinheirinho sem ser pão duro e isolar-se de amigos, familiares e colegas de trabalho.

Uma pessoa frugal

Existem toneladas de maneiras de economizar dinheiro e ainda ser capaz de experimentar atividades sociais e culturais. Uma das melhores maneiras é reservar um pouco de dinheiro em intervalos pré-determinados afim de pagar por essas coisas. Busque cupons online, aplicativos ou revistas em sua cidade/região que ofereçam descontos em bares, restaurantes e baladas para você não se tornar um eremita social.

Uma pessoa pão dura

Dizer não uma vez ou outra tudo bem. Agora, se você sempre diz não aos seus amigos/familiares para sair, depois de um tempo, eles simplesmente vão parar de perguntar. Houve até mesmo sugestões por aí de que as pessoas devem cortar de suas vidas aqueles que têm diferentes hábitos de sua vida. Isso é o máximo em ser pão duro. Há tantos lugares e eventos que você pode visitar sem gastar um único centavo, e fazer a mesma coisa sem experimentar nada de novo não é viver a vida, é mais como sobreviver até que você morra.

Considerações Finais

É claro que há uma série de áreas em que as pessoas podem desistir completamente da frugalidade e afundar profundamente em território de pão duro, mas traçar os limites não é tão difícil assim. Todo mundo tem que descobrir o que funciona melhor para eles, muitas vezes envolvendo o ensaio e erro. Aprenda a ouvir, pesquisar, conversar com os outros sobre como economizar. Você vai se surpreender com tantas dicas que receberá.

Alguma vez você já se perguntou se o que você faz seria considerado “pãodurismo” em vez de frugal? Quais são os seus limites para o que qualifica como frugal ao invés de pão duro?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)