Pra você que deseja ter uma velhice tranquila após ter trabalhado durante toda a vida, e quer complementar ou substituir o plano de previdência oferecido pelo governo (o INSS), a previdência privada talvez seja a melhor opção. Ela necessariamente compreende duas etapas, a do investimento e a do benefício. Você contribui durante alguns anos com o plano previdenciário, o dinheiro vai rendendo, e ao final da contribuição você recebe o montante total ou em parcelas mensais. Dentre as opções de previdência privada estão os PGBL (Plano gerador de benefício livre) e VGBL (Vida gerador de benefício livre), cada qual com suas vantagens e desvantagens, que são medidas de acordo com o perfil do contratante.

Sua principal diferença está na tributação. Enquanto o PGBL pode ser deduzido no imposto de renda, o imposto cobrado no momento da retirada do dinheiro incidirá sobre o valor total, ou seja, é um imposto alto. Já o VGBL não pode ser deduzido no imposto de renda. Entretanto, no momento da retirada do dinheiro o valor do imposto será menor, pois incide somente sobre os rendimentos, e não no valor total.

PGBL ou VGBL

Diferenças dos planos de previdência privada PGBL e VGBL

No caso do PGBL é necessário calcular se a dedução no imposto de renda compensará a cobrança de imposto. Neste caso, ele é indicado para pessoas de alta renda e que façam a declaração do imposto de renda pelo formulário completo.

No caso do VGBL, ainda que sua contribuição não seja deduzida no imposto de renda, pelo fato de cobrar um imposto menor no momento de receber o investimento, é mais indicado para quem faz a declaração simplificada e para autônomos. Quem também irá investir mais de 12% da renda em um plano previdenciário este é o mais indicado, pois de todo modo não se poderá deduzir no imposto de renda um valor acima de 12% caso opte pelo PGBL.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)