Nos programas de televisão que falam a respeito de orçamento doméstico e variação do nível de endividamento financeira há sempre alguém dando conselhos sobre como manter as contas em dia e não se endividar.

Para quem já tem dívidas o mais sensato é gastar somente o essencial e negociar as dívidas atuais, pagando primeiro as que tiverem maior taxas de juros após a negociação. Enquanto paga as dívidas, o que pode demorar vários meses ou anos, é necessário evitar novos gastos por impulso e um conselho muito ouvido é: deixe o cartão de crédito em casa.

O cartão de crédito é apenas uma forma de pagamento em que está embutida uma modalidade de crédito limitada, fácil e rápida, mas com juros exorbitantes. Deixar o cartão de crédito em casa pode até lhe impedir de realizar certas compras quando estiver na loja quase cedendo ao apelo de um vendedor, mas para isto existem formas de pagamento por boleto e muitas outras.

O ponto em que quero chegar é que a mudança tem que vir de dentro pra fora. Você é quem precisa se acostumar a fazer apenas compras conscientes e planejadas para que consiga manter uma vida financeira equilibrada. Deixar o cartão de crédito em casa só vai dificultar o processo de compra se você não conseguir se controlar. Não deixar de ser uma maneira de começar, mas não pode ser a solução definitiva.

Compras por impulso

Como evitar o impulso das compras?

Se você tem problemas em comprar mais do que deveria, é necessário fazer uma reflexão, conversar com pessoas que possam lhe ajudar ou mesmo procurar um psicólogo para ajudar nesta questão que pode ser até patológica.

Enquanto isto, não tem nada demais deixar os cartões em casa para evitar aquelas compras por impulso nos shoppings ou liquidações.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)