Viajar para o exterior lhe obriga em algum momento a ter dinheiro em espécie na moeda do local de destino. Se for para o Chile ou Argentina, por exemplo será imprescindível lidar com o a moeda “peso” espécie, seja o peso chileno ou o peso argentino e correr o risco de ter que trocar o dinheiro que sobrar na volta.

Dinheiro em espécie para o exterior compensa?

Mas compensa já trocar o real por peso no Brasil antes de viajar? Em uma pesquisa rápida que fiz nas casas de câmbio de Belo Horizonte percebi que a moeda é vendida a preços muito variáveis, especialmente entre casas de câmbio do aeroporto em relação a outras espalhadas na cidade. Caso não troque o real por outra moeda no Brasil, terá que fazer isto no destino, em casas de câmbio que terá que procurar e cada cidade. A vantagem é que você passa menos tempo carregando muito dinheiro o que evita o risco de ter muito prejuízo caso seja assaltado, e pode até ir trocando somente à medida em que for precisando. Outra questão importante é sobre deixar dinheiro no hotel, visto que há muitos casos de roubos nestas situações.

Preço para comprar moeda exterior

As casas de câmbio dos aeroportos em geral cobram mais caro pela conversão da moeda. É um preço que você acaba pagando pela praticidade de não ter que procurar uma casa de câmbio, gastando o tempo precioso de sua viagem.

Dinheiro na mão no exterior é bom?

Ao viajar para o exterior, levar dinheiro em espécie é um perigo, mas é uma necessidade para não passar apertos financeiros. (Foto: Stuart Miles)

Sacar moeda exterior com cartão de débito ou crédito

Outra opção muito interessante é fazer o saque da moeda local usando o cartão de débito de seu banco. Há também conversões de moeda neste saque, geralmente para dólar e depois para reais, que aí sim é debitado em sua conta. Cada banco cobra uma taxa diferente para o saque, sendo que no Itaú a taxa é de R$ 9  por saque, independente do valor (out/2011). Consulte seu banco para saber qual a taxa de saque usando o cartão de débito, os limites diários e quais os caixa eletrônicos credenciados para isto.

O problema de deixar para fazer o saque em moeda local é correr o risco do cartão de débito não funcionar, aí você terá que apelar para saques no cartão de crédito, que são bem mais caros, pois a taxa de juros usada será a do próprio cartão.

Minha experiência com dinheiro e viagens para o exterior

Em minha opinião o melhor é levar em reais uma quantia que seja suficiente para 1 ou dois dias da viagem, trocar no aeroporto apenas a quantia necessário para o táxi até o hotel ou ao centro das cidades onde haverá casas de câmbio para trocar o valor restante ou efetuar saques no cartão de débito.

O risco do cartão não funcionar é pequeno caso você se informe com antecedência em seu banco. Viajando em grupo é ainda melhor pois seus amigos podem sacar para você, mesmo que você precise acessar seu banco pele internet e transferir antes o dinheiro para a conta deles!

E você? Como gosta de levar dinheiro para o exterior?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)