Viajar para o exterior traz sempre a dor de cabeça de ter que lidar com diferentes moedas, impostos abusivos como o IOF de 6,38% do cartão do crédito (out/2011) e casas de câmbio! Trocar dinheiro de uma moeda para outra significa vender seu dinheiro em reais e ser pago por ele em outra moeda. Geralmente isto é feito com muita felicidade antes de embarcar para outro país como Argentina ou Chile, por exemplo. No momento da viagem, mesmo após termos definido qual a melhor maneira de levar dinheiro para o exterior, quase sempre precisamos ter alguma quantidade em espécie e compramos em uma casa de câmbio. Ao voltar da viagem pode sobrar algum dinheiro da moeda do país visitado. O que fazer com ele?

Tive a experiência de ficar com algumas centenas de pesos Argentinos em minha carteira quando voltei de Buenos Aires. Cheguei em minha cidade com este dinheiro e achei que bastava simplesmente ir a uma agência bancária trocar por reais. Infelizmente eu estava enganado. Como a quantidade de pesos era pequena, muitos bancos sequer compravam e praticamente todas as casas de câmbio de Belo Horizonte queriam cobrar uma taxa para comprar os pesos que eu tinha em mãos. Supondo que eu tinha 300 pesos para vender, a taxa era algo em torno de 35 reais, sem contar a desvalorização artificial incluída no valor de compra da moeda estrangeira. Em outras palavras: como o valor que eu tinha a vender era relativamente pequeno, a taxa cobrada era significativa e juntamente com o ágio, me faria perder quase 25% do dinheiro.

Dólar fácil de trocar

Se vai sobrar, que seja em dólar

A solução foi vender o dinheiro a amigos que visitariam Buenos Aires logo em seguida e dar de graça o excelente conselho: não traga pesos chilenos ou argentinos ou qualquer outra moeda quando voltar de uma viagem internacional. Na melhor das hipóteses você terá um prejuízo médio para transformar esse dinheiro em reais de novo! Tenta gastar tudo por lá e, se não for possível troque por dólar que é mais aceito e tem maior liquidez no mercado de câmbio aqui no Brasil.

Agora, caso você já tenha voltado e esteja com os pesos “pesando” em sua carteira, a melhor solução é ligara para cada casa de câmbio de sua cidade e conseguir o maior preço de compra, comparecendo logo depois ao local com o dinheiro estrangeiro para venda. Pesquise muito pois o preço varia demais entre casas de câmbio na mesma rua! Moedas como o peso chileno podem ser mais difíceis de vender por serem consideradas “exóticas” – termo usado por uma atendente de uma das casas de câmbio para justificar a grande diferença entre o preço de compra e venda praticados por eles.

Image: dream designs / FreeDigitalPhotos.net

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)