Toda vez que a mídia vai falar sobre endividamento ou aumento do índice de inadimplência, o cartão de crédito é um dos principais vilões. Por mais clichê que possa parecer, ele é mesmo.

A grande desvantagem da utilização do cartão do crédito é ter que pagar pelos juros do mesmo. Os juros do cartão de crédito são sempre abusivos, não importa a operadora ou o banco de que você é cliente. O bom uso do cartão de crédito é apenas adiar o pagamento de suas compras até a chegada da fatura, o que lhe dá no máximo 30 dias, salvo raras exceções. Saques no cartão de crédito são débitos feitos em sua fatura que serão cobrados com os juros do cartão ou maior, e ainda há bancos que cobram uma taxa pelo saque, independente do valor.

Por exemplo: para fazer um saque de R$ 1000 no cartão do crédito, estando em outros país:

  • Você poderá pagar uma taxa pelo saque, suponha em torno de R$ 10 reais, dependendo do banco.
  • Haverá juros em torno de 10% sobre o valor sacado.
  • Incidirá IOF de 6,38% sobre o valor sacado (out/2011)
  • Haverá conversão da moeda local para dólar no dia do saque e outra conversão de dólar para reais no dia do fechamento da fatura.

No fim das contas, no exemplo acima você terá pago no mínimo 7,38% de juros + juros proporcionais em torno de 10% ao mês entre a data do saque e fechamento da fatura, que poderia ser evitado fazendo o saque no cartão de débito.

Sacar dinheiro no cartão de crédito

Saque no cartão de crédito no exterior

Tanto no exterior quanto aqui mesmo no Brasil a utilização do saque no cartão de crédito deve ser usada apenas em situações emergenciais onde nenhuma outra modalidade de crédito está disponível. Mesmo assim o valor sacado (emprestado) deve ser pago o mais rápido possível ao banco, sem esperar o fehamento da fatura para diminuir o montante proporcional de juros pagos. Toda modalidade de crédito tem um preço proporcional à facilidade e principalmente ao risco corrido pelo banco ao proporcionar o empréstimo. No caso do cartão de crédito os juros acabam por ser abusivos, tanto pelo risco elevado de calote ( veja estatísticas mensais de inadimplência ) quanto pela enorme infraestrutura necessária para funcionamento da rede. Obviamente o lucro dos bancos e das operadoras representam boa parte deste bolo!

Image: worradmu / FreeDigitalPhotos.net

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)