Recentemente quando fui à minha agência do banco Itaú o gerente me solicitou que eu fizesse o cadastro da impressão digital para poder utilizar o saque através da biometria, sem utilizar cartão. Fiz o cadastro e compartilho neste texto algumas experiências a respeito das vantagens e problemas da biometria no Itaú. Li também várias reclamações na internet da biometria no Bradesco, o que mostra que todos os sistemas tem problemas e geram muitas dúvidas nos clientes.

Eu trabalhei 10 anos em uma fábrica de relógios de ponto. Minha função principal neste empresa era o desenvolvimento do sistema de software que roda dentro dos equipamentos. Por mais de 5 anos trabalhei diretamente com a integração de biometria nestes aparelhos e posso lhe dizer que existem muitos problemas ainda não resolvidos.

Biometria: como funciona?

A impressão digital é única em cada pessoa do mundo, mas os sistemas que as identificam podem confundir duas pessoas ou não entender que uma impressão digital previamente cadastrada não pertence ao seu dono! O primeiro caso é o chamado falso positivo e é extremamente raro. Eu nunca presenciei NENHUM caso deste mesmo trabalhando o dia inteiro com isto e tendo conhecimento de todo tipo de problemas envolvendo os relógios de pontos biométricos nos clientes desta empresa. Na teoria eles acontecem com uma frequência muito pequena e, da forma como a impressão digital é utilizada no sistema bancário, isto definitivamente NÃO é um problema com que tenhamos que nos preocupar. Em resumo, a sua impressão digital somente é comparada com a sua própria quando você utiliza o banco,o que torna os falso negativos muito mais prováveis de acontecer.

Quando o banco não reconhece sua impressão digital temos o falso negativo. O seu acesso é negado porque sua impressão digital não foi reconhecida. Esta é sem dúvida a maior parte dos problemas com os sistemas biométricos. Por mais que a impressão digital seja única, ela PODE MUDAR de um dia para o outro devido a diversos fatores. A digital pode mudar entre o dia em que você se cadastrou no banco até o dia em que foi sacar o dinheiro no caixa eletrônico.

A impressão digital pode mudar?

O que mais costuma causar alterações na impressão digital é:

  • umidade da pele: se você acabou de sair de uma sauna, piscina ou mexeu com água muito tempo, suas digitais podem não ser reconhecidas
  • produtos químicos: detergentes, sabão, água sanitária, produtos de limpeza em geral, cimento, tintas, resinas, colas e vários outros produtos desfiguram as impressões digitais. Ás vezes basta lavar bem que volta a funcionar. Em outros casos há um desgaste da pele e a impressão demora a se recuperar e voltar ao que era.
  • sujeira: acredite, mas há pessoas que insistem em usar um dedo sujo, mas tão sujo que é possível ver a sujeira dentro das cavidades e poros das impressões digitais.
  • ferimentos: é comum que ferimentos ou descamações na pele dos dedos tornem a impressão digital irreconhecível. Alergias costumam causar muitos problemas quando deixam as pontas dos dedos feridas ou descamando.
  • desgaste: a idade avançada costuma causar algum desgaste das digitais. Observei muitos problemas com idosos na utilização de impressões digitais, mas não é regra. A maior incidência de problemas ocorre com pessoas que desgastam a pele da mão no trabalho diário: faxina, construção civil e outros trabalhos que acabam provocando atrito com a pele das mãos.

Para todos os problemas citados acima existem tecnologias super avançadas para solucionar. Os sensores são cada vez mais imunes à sujeira e variações superficiais das impressões digitais. De qualquer forma, TODOS os sistemas funcionam melhor quando a impressão digital está limpa, bem cadastrada, alinhada e mais parecida possível com o o momento em que foi cadastrada. A tecnologia é muito boa em eliminar estas variáveis, mas você pode ajudar evitando os problemas acima

Biometria não funciona sujeira

Alguns sensores biométricos lidam bem com a sujeira nas impressões digitais, mas não abuse!

Cadastro biométrico mal feito

Além das possibilidades da impressão mudar ao longo do tempo, outra grande causa de problemas é o cadastro mal feito. Os bancos já cadastram mais de um dedo e lhe permitem mudar o dedo usado para evitar os problemas acima. Em todo caso, considere fazer o recadastramento biométrico no seu banco se você estiver passando por muitos problemas.

As vezes na data em que você cadastrou sua biometria no banco suas digitais estavam diferentes do que estão hoje devido a alguma situação momentânea da época. Vale a pena recadastrar para ficar livre de problemas. Capriche na limpeza e no posicionamento dos dedos no momento do cadastro pois este é o passo mais importante para ter sucesso na utilização da biometria.

Usar ou não usar biometria?

Depois de feito o cadastro de forma cuidadosa não se esqueça de testar o funcionamento na mesma hora em sua agência, se isto for possível. Assim, caso algum problema apareça você poderá reclamar e recadastrar na hora mesmo até que funcione. O próprio processo de cadastramento da impressão digital exige que cada digital seja colocada mais de uma vez, o que já é um teste preliminar.

Eu estou gostando da experiência de utilizar a biometria Itaú e acredito que em outros bancos a experiência seja similar. No próximo artigo continuamos a abordar o assunto biometria para saques sem senha e biometria para saques sem cartão!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)